free css template

 

bird
image
image
1 2

Obra no Brasil

 

Teve início de um modo peculiar, no ano de 1968 de um chamado recebido de Deus, o Pr. Joaquim Gonçalves Silva, sem respaldo algum de nenhuma igreja, começou a pregar sozinho na porta do antigo mercado Municipal, no centro da cidade de Goiânia - GO.
Colocando neste mesmo ano um programa diário na Rádio Jornal de Goiás, ás 18:00, e através dele pregava a genuína e pura Palavra de Deus, não no nome de uma igreja qualquer, por melhor que fosse ela. Baseado no tema: "Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e eternamente", realizou ali na porta daquele mercado, uma grande obra de cura divina e ibertação dos oprimidos pelo diabo. E o único respaldo que tinha, era a segurança que trazia em seu coração, de que Deus o havia enviado.
Em 18 de maio de 1968 inaugurou o local que haveria de abrigar centenas de almas que viriam atraídas por uma voz diferente: uma voz que condenava o pecado, mas que libertava o pecador, e que não era outra senão a Voz do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. 
Sob a unção de Deus, o Pr. Joaquim Gonçalves, através de suas pregações demonstrava o seu inconformismo com a falsa conversão, por não ver nos novos crentes uma nova vida.
Agora, como havia de se esperar, aquilo causou um verdadeiro distúrbio religioso em Goiânia-GO. Mas ali estava tudo: a Palavra no poder e autoridade do Espírito Santo e os sinais que A seguiam.
Mas no auge da festa, um tremendo impacto: Fomos todos surpreendidos com a chegada da mensagem do Profeta de Deus para esta era, precursor da segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, irmão William Marrion Branham, que veio em cumprimento à profecia de Malaquias 4:5; Mateus 17:11; Apocalipse 10:7
Havía começado em Goiânia em 18 de maio de 1968 e estava agora em outubro de 1971. Um pastor auxiliar do pastor Joaquim Gonçalves, ganhou de um outro irmão que passara por Goiânia, uma coleção incompleta das Sete Eras da Igreja e um livrete O Profeta do Século XX. Não se interessando em lê-los, deu-os ao Pr. Joaquim Gonçalves, que por sua vez simplesmente os guardou dentro do móvel de uma velha radiola que tinha em seu escritório. Ali aqueles livros permaneceram por vários meses, sem que ninguém os lesse. 
Mas, certa manhã de outubro de 1971, depois de passar uma noite em claro por uma decepção sofrida numa reunião do Conselho de Ministros à qual havia sido convidado a participar, o pastor Joaquim Gonçalves foi à Rádio Anhanguera e, ao vivo, pregou uma das mais poderosas mensagens de sua vida, sob o tema: “Sai dela povo meu”.
E a semente predestinada de Deus rejubila quando sobre ela, como água, cai a revelação da Palavra de Deus. E foi exatamente o que aconteceu ali. Num só dia ele e quase duas mil pessoas foram batizados no Tabernáculo da Fé, desta feita usando o Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ( Mateus 28:19 )que é Senhor Jesus Cristo (Atos 2:38) conforme nos ensinou o profeta de Deus que veio para restaurar todas estas verdades perdidas ao longo da caminhada da igreja cristã através dos séculos. 
Não há como explicar a pressão feita pelo inimigo contra essa nova etapa desse ministério. Mas nossa resposta foi sempre mais trabalho. E assim foram colocados programas radiofônicos de alcance nacional. A nação toda ouviu aquele grito de chamada, pois a mensagem e o profeta foram apresentados ao povo através de uma mensagem tão ungida que só havia um modo de combatê-la: partindo para o ataque pessoal, difamações, injúrias e até ameaças. E estas foram tantas que qualquer ministério recuaria se não fora a graça de Deus para sustê-lo. A verdade é que a Mensagem do Profeta causou um distúrbio nacional no meio religioso, o que não impediu que os eleitos se manifestassem por toda parte. Dezenas de cartas nos chegavam diariamente solicitando-nos mais esclarecimentos sobre a mensagem. Daí então a necessidade de termos as mensagens em português. Passamos então a traduzí-las como podíamos, e a imprimí-las de maneira precária, em um mimiografo a tinta em forma de apostilas.
Não tardou muito e novamente os Jornais da cidade publicaram no mesmo dia uma nota oficial do Conselho de Ministros de Goiânia, na qual desconsideravam o Pr. Joaquim Gonçalves como Pastor Evangélico, visto que o mesmo, segundo eles, estava pregando uma heresia. (o mesmo que disseram de Paulo - Atos 24:5) Não só os jornais, mas através de programas de rádio e de quase todos os púlpitos das igrejas evangélicas, o apelo era o mesmo: "Cuidado! Não vão lá! Não ouçam aquele programa!", o que foi pior, pois tudo isso aguçava a curiosidade das pessoas que passaram a conferir por si mesmas o que realmente estava acontecendo ali. E foi então quando muitos "Nicodemos" se manifestaram.
Desde então, trinta e nove anos têm se passado, e aqui prosseguimos pela fé, certos de que Aquele que prometeu, também é fiel para cumprir o que tem prometido, e enquanto Ele não vem, continuamos trabalhando.